sexta-feira, 28 de outubro de 2022

  • sexta-feira, outubro 28, 2022
  • Redação
Foto: Staff Images Woman/Conmebol

Por Agência Brasil

O Palmeiras conquistou pela primeira vez na história a Libertadores da América de futebol feminino ao derrotar o Boca Juniors (Argentina) por 4 a 1, na noite desta sexta-feira (28) no estádio Rodrigo Paz Delgado (Casa Blanca), em Quito (Equador), na grande decisão da competição.

As Palestrinas, que disputaram a sua primeira Libertadores feminina, garantiram o título com uma campanha impressionante, com 100% de aproveitamento (com 19 gols marcados e apenas três sofridos).

Além disso, esta pode ser considerada a cereja do bolo da retomada do futebol feminino no Palmeiras, que teve início em 2019. Desde então a equipe paulista conquistou a Copa Paulista em duas oportunidades (2019 e 2021) e foi vice do Brasileiro (2021).

A final

A equipe brasileira iniciou a partida melhor, dominando as ações e abrindo o placar logo aos 4 minutos. Após cobrança de falta em direção à área do time argentino, a defesa do Boca errou ao tentar cortar e a bola sobrou para Ary Borges, que não perdoou.

Mas as Gladiadoras não demoraram a igualar o marcador. A defesa do Palmeiras errou e a bola foi lançada em profundidade para Priori, que se livrou da goleira Jully com uma meia-lua antes de bater para o gol vazio. A juíza da partida contou com o auxílio do VAR (árbitro de vídeo) para confirmar a validade do golaço.

Após a igualdade no marcador o Boca cresceu na partida, e criou muitos problemas para a defesa das Palestrinas, que garantiram o título apenas na etapa final.

Logo no terceiro minuto Bruna Calderan avançou pela direita até chegar à linha de fundo, antes de cruzar para a área, onde Byanca Brasil só teve o trabalho de escorar de cabeça para o fundo do gol. Nove minutos depois a bola aérea voltou a funcionar, desta vez com Poliana após cobrança de escanteio, para ficar em situação mais confortável.

As oportunidades continuaram aparecendo de lado a lado, até que, aos 43 minutos, a bola foi lançada para a frente, onde a artilheira Bia Zaneratto a dominou, se livrou de duas marcadoras e bateu na saída da goleira Laurina Oliveros. Foi o ponto final de uma vitória histórica das Palestrinas.

Hegemonia do Brasil

Com a conquista desta noite, o Palmeiras ampliou a hegemonia do Brasil como maior campeão da história da Libertadores feminina. Agora, as equipes brasileiras somam 11 títulos: Três do Corinthians (2017, 2019 e 2021), três do São José (2011, 2013 e 2014), dois do Santos (2009 e 2010), dois da Ferroviária (2015 e 2020) e um do Palmeiras (2022).