quinta-feira, 9 de junho de 2022

  • quinta-feira, junho 09, 2022
  • Redação

Foto: Reuters/Kai Pfaffenbach
Por Agência Brasil

O chefe de polícia de Paris disse nesta quinta-feira (9) que pode estar errado quando disse que até 40 mil torcedores do Liverpool tentaram entrar na final da Liga dos Campeões com ingressos falsos e que não havia evidências para apoiar a afirmação.

Didier Lallement acrescentou durante uma audiência no Senado francês que a ação policial em torno da partida entre Liverpool e Real Madrid no Stade de France foi um "fracasso", pois os torcedores foram prejudicados e a imagem da França acabou desgastada.

A final, que o Liverpool perdeu por 1 a 0, foi atrasada em mais de 30 minutos depois que policiais barraram à força pessoas que tentavam entrar no estádio. A polícia de choque jogou gás lacrimogêneo em torcedores, incluindo mulheres e crianças.

O ministro do Interior da França, Gérald Darmanin, disse que grande parte da culpa é dos torcedores do Liverpool e que 30 mil a 40 mil chegaram sem ingressos válidos, o que levou a uma multidão no estádio e pessoas tentando forçar a entrada.

Mais tarde, ele foi apoiado pelo presidente Emmanuel Macron.

A versão de Darmanin foi contestada pelos torcedores do Liverpool que compareceram e dizem que a grande maioria de seus torcedores se comportaram bem, mas foram tratados de maneira violenta pela polícia francesa.

"Talvez eu tenha errado no número de 30 mil a 40 mil  [torcedores com ingressos falsos] que dei ao ministro [do Interior]", disse Lallement. "Do ponto de vista operacional, não muda nada se for cerca de 40 mil ou 30 mil  ou 20 mil ", afirmou Lallement.