terça-feira, 26 de abril de 2022

  • terça-feira, abril 26, 2022
  • Redação
Foto: Bruno Pacheco

Por Assessoria CBF

A Seleção Masculina Sub-17 ganhou as manchetes dos portais, jornais, mesas redondas da TV e as redes sociais nas últimas semanas. A equipe treinada por Phelipe Leal voltou a vencer o tradicional Torneio de Montaigu, na França, após 38 anos. Muito além do desempenho individual de alguns atletas, como o caso do atacante Endrick, artilheiro e eleito o melhor jogador da competição, a Seleção Sub-17 desbancou equipes europeias e mostrou um futebol ao seu melhor estilo: ofensivo, vibrante e muito competitivo.

O Torneio de Montaigu completou 49 anos de existência e reuniu 8 das 10 melhores seleções ranqueadas pela FIFA: França, Bélgica, Holanda, Inglaterra, México, Argentina e Portugal. A conquista na França é só mais uma das categorias de base da Seleção Brasileira nos últimos anos.  A boa fase das equipes de formação do Brasil começou em 2019. Em junho daquele ano, a equipe sub-21 venceu o Torneio de Toulon, no início do ciclo olímpico de preparação para os Jogos de Tóquio 2020. No mesmo ano em novembro, a Seleção Masculina Sub-17 conquistou a Copa do Mundo FIFA Sub-17, disputada no Brasil. Ainda em 2019, no mês de dezembro, a Seleção Sub-15 venceu o Torneio Sul-Americano Conmebol, em decisão contra a Argentina, no Paraguai. 

Em 2020, a Seleção Olímpica disputou o Torneio Pré-Olímpico Conmebol, na Colômbia. Com campanha invicta, garantia a vaga brasileira na Olimpíada, que acabou sendo disputada apenas no ano seguinte, por causa da pandemia de Covid. No fim de 2020, a Seleção Sub-20 venceu Torneio Internacional realizado na Granja Comary, disputado com Bolívia, Chile e Peru.

Infelizmente, a pandemia impediu a realização das principais competições de base programadas para 2021. 

Os Jogos Olímpicos de Tóquio, no entanto, foram mantidos. O Brasil, treinado por André Jardine, técnico multicampeão na base e promovido ao comando da Seleção Olímpica, se preparou por dois anos e reuniu um grupo de atletas talentosos e comprometidos com o projeto olímpico brasileiro. O resultado não podia ter sido outro: bicampeonato olímpico, com campanha invicta, e batendo a poderosa Espanha na decisão. 

O trabalho da Seleção Olímpica gerou frutos para a equipe principal, que se prepara para a disputa da Copa do Mundo no Catar. Jogadores como Antony, Bruno Guimarães, Guilherme Arana, Matheus Cunha, Gabriel Martinelli, Gabriel Magalhães, Rodrygo e Douglas Luiz são alguns dos nomes que o técnico Tite já convocou durante as Eliminatórias Sul-Americanas. No último jogo do Brasil nesta competição, na Bolívia, a Seleção Principal teve seis campeões olímpicos em campo: Dani Alves, Arana, Bruno Guimarães, Antony, Martinelli e Richarlison. 

No final de 2021, a Seleção Brasileira Sub-18 disputou a primeira edição do Torneio Revelations Cup, realizado no México. O Brasil terminou em segundo lugar, perdendo apenas o confronto direto contra os donos da casa, em jogo com decisões duvidosas da arbitragem. 

"Nós precisávamos mudar a mentalidade. O Brasil precisa mostrar o futebol bonito que o destacou no mundo e ser protagonista sempre. 'Divirtam-se com responsabilidade' é o lema que passo aos nossos jovens atletas. Eles precisam se sentir muito à vontade na Seleção Brasileira. É a casa deles. Os nossos resultados recentes passam muito pelas escolhas que fizemos para os comandos técnicos e o núcleo de observação, e todo o respaldo da CBF, que não mede esforços para garantir o melhor em prol do desempenho esportivo das equipes e o melhor desenvolvimento dos atletas. Hoje temos muitas competições nacionais de clubes, muita oportunidade para avaliar a competitividade dos novos talentos. Os clubes também fazem excelentes trabalhos na base. Olhamos para a base de todo o Brasil, e isso se reflete em nossas convocações. Não há lugar cativo em nenhuma seleção”,  avalia o coordenador das categorias de base da Seleção Brasileira, o tetracampeão Branco. 

2002 começou com mudanças no comando técnico de duas categorias importantes no processo de formação dos atletas. O técnico Phelipe Leal assumiu a Seleção Sub-17, na vaga deixada por Paulo Victor Gomes, contratado pelo Palmeiras e campeão da última Copinha. Já para a Seleção Masculina Sub-20, o escolhido foi Ramon Menezes, substituindo André Jardine. Os dois treinadores, junto a Dudu Patetuci, da categoria sub-15, preparam as equipes para as competições FIFA e Conmebol de 2023.

O objetivo é seguir o projeto de protagonismo do Brasil na base, classificar as Seleções para as disputas de seus respectivos mundiais e, acima de tudo, desenvolver os atletas visando os próximos ciclos de Copa do Mundo da Seleção Principal. 

Próximas Transmissões

Terça 15h45 | Campeonato Inglês | Southampton x Liverpool
Terça 21h30 | Copa Libertadores | Red Bull Bragantino x Estudiantes (ARG)
Quarta 16h00 | Final da Liga Europa | Eintracht Frankfurt x Rangers
Quarta 21h30 | Copa Sul-Americana | Santos x Unión La Calera (CHI)
Quinta 21h30 | Brasileirão Série B | Guarani x Vasco