sexta-feira, 28 de janeiro de 2022

  • sexta-feira, janeiro 28, 2022
  • Redação
Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Por Assessoria CBF

Após o empate por 1 a 1 entre Brasil e Equador, o técnico da Seleção Brasileira, Tite, deu entrevista coletiva. Durante suas respostas, o treinador explicou as alterações táticas que fez ao longo da partida, principalmente após a expulsão de Emerson Royal, aos 20 minutos do primeiro tempo.

Tite optou pela saída de Philippe Coutinho, que estava previsto para jogar 70 minutos na partida, preferindo manter os seus homens de frente: Matheus Cunha, Vinícius Jr. e Raphinha.

"O campo comprido, alarga, a altitude, transições, velocidade, o atleta (Coutinho) ia se desgastar demais. O Cunha, com o Jardine, fez função em que não era só 9. Nas Olimpíadas, vinha buscar, ser o jogador da conexão. Aí, com um homem a menos, fazer ele a conexão com os meio-campistas, para chegar nos homens da frente. Fazendo teoricamente três atacantes, que não eram. Nas funções, eram dois atacantes e um flutuador", explicou Tite.

O técnico da Seleção Brasileira contou também que conversou com o Emerson Royal no vestiário. Expulso apenas cinco minutos depois do Brasil ficar com um a mais na partida, o lateral poderá usar esta situação como aprendizado para sua sequência na Seleção, como frisou Tite.

"Eu falei com o Emerson no vestiário. Existem situações na vida que são de aprendizado. A gente comete alguns erros de inconsequência, de impetuosidade, que a própria maturidade vai dar. Ele errou, sabe. Falei isso a ele. Mas ele não tem técnico que corta cabeça e entrega na bandeja, não. Ele vai aprender, vai evoluir, é assim que nós trabalhamos".

Ao lado de Tite durante a entrevista coletiva, o auxiliar técnico Cleber Xavier trouxe uma análise sobre a partida em si, e as disputas que se deram dentro das quatro linhas. Ele apontou fatores que impuseram certas dificuldades à Seleção, como o gramado, a altitude e o jogo físico das duas equipes.

"Um jogo, pela característica física da equipe equatoriana, difícil. Pela questão da altitude, da velocidade da bola. Um campo fofo, que segurava muito a bola. Tivemos mais contatos no jogo, contatos leais. O número de faltas foi exagerado, 20 do Equador, 12 nossas. Mas os outros números foram bons ao nosso favor. Conseguimos ter, num jogo difícil, 54% de posse de bola. 13 finalizações, 6 no gol. Enquanto o Equador só teve uma finalização no gol, justamente onde saiu o gol", destacou Cléber Xavier.

Este desempenho da Seleção Brasileira fez Tite lamentar o empate em Quito. O treinador acredita que o Brasil foi quem mais teve chances de sair com vitória, mas não teve efetividade ao longo do jogo.

"Nos diferentes jogos dentro do próprio jogo, tivemos mais próximos de vencer. Se tivesse efetividade, saía com a vitória daqui. Isso que eu fico lastimando. Desempenho, números, mas tem que traduzir isso de forma efetiva e vencer. Esse era o nosso objetivo", finalizou.

Após empatar por 1 a 1 com o Equador, a Seleção Brasileira viaja para Belo Horizonte, onde enfrentará o Paraguai, na próxima terça-feira (1). O Brasil é o atual líder das Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA, com 12 vitórias e dois empates em 14 jogos.

Próximas Transmissões

Terça 15h45 | Campeonato Inglês | Southampton x Liverpool
Terça 21h30 | Copa Libertadores | Red Bull Bragantino x Estudiantes (ARG)
Quarta 16h00 | Final da Liga Europa | Eintracht Frankfurt x Rangers
Quarta 21h30 | Copa Sul-Americana | Santos x Unión La Calera (CHI)
Quinta 21h30 | Brasileirão Série B | Guarani x Vasco