segunda-feira, 18 de outubro de 2021

  • segunda-feira, outubro 18, 2021
  • Redação
Foto: Costas Baltas/Reuters

Por Agência Brasil

Ativistas dos direitos humanos desenrolaram uma bandeira que dizia "Não aos Jogos Genocidas", agitaram a bandeira tibetana e pediram um boicote à Olimpíada de Inverno de Pequim de 2022 durante a cerimônia de acendimento da tocha nesta segunda-feira (18).

Duas mulheres e um homem furaram um cordão de isolamento da polícia e entraram no sítio arqueológico do estádio e do templo gregos antigos onde a tocha olímpica costuma ser acesa, que estavam interditados há dias.

Eles acenaram com uma bandeira tibetana segundos antes de a tocha ser acesa por uma atriz que fazia o papel da alta sacerdotisa do Templo de Hera a alguns metros de distância.

Os três manifestantes gritaram pedindo um boicote aos Jogos de Pequim enquanto autoridades convidadas, como a presidente grega, Katerina Sakellaropoulou, e o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, observavam.

A cerimônia em si não foi interrompida, como aconteceu antes da Olimpíada de Verão de Pequim de 2008, e os ativistas, que não chegaram ao estádio ou ao templo propriamente ditos, foram retirados pela polícia rapidamente.

A capital chinesa se tornará a primeira cidade a sediar os Jogos de Verão e de Inverno quando receber o evento de 4 a 20 de fevereiro, mas protestos e pedidos de boicotes em reação ao histórico de direitos humanos do país ofuscam seus preparativos.

Quatro outros ativistas foram detidos pela polícia diante do estádio uma hora antes da cerimônia e levados à delegacia local.

Próximas Transmissões

Sábado 09h30 | Campeonato Alemão | West Ham x Chelsea
Sábado 14h30 | Campeonato Inglês | Borussia Dortmund x Bayern de Munique
Sábado 17h00 | Campeonato Espanhol | Real Sociedad x Real Madrid
Domingo 16h00 | Brasileirão Série A | Corinthians x Grêmio
Segunda 17h00 | Campeonato Inglês | Everton x Arsenal
Segunda 20h00 | Brasileirão Série A | Cuiabá x Fortaleza