sexta-feira, 8 de outubro de 2021

  • sexta-feira, outubro 08, 2021
  • Redação
Foto: Lee Smith/Reuters

Por Agência Brasil

O grupo de direitos humanos saudita ALQST acusou a liga inglesa de futebol de ser motivada somente pelo dinheiro e por empregar critérios "profundamente inadequados" para avaliar os direitos humanos depois que o Newcastle United foi adquirido por um consórcio liderado pela Arábia Saudita.

O Fundo Público de Investimento saudita (PIF), presidido pelo príncipe herdeiro Mohammed Bin Salman, agora possui 80% do clube, e o resto se divide entre RB Sports & Media e PCP Capital Partners, cuja executiva-chefe, Amanda Staveley, comandou a aquisição.

Embora os torcedores tenham esperança de que a aquisição ajudará a mudar a sorte do clube, vários grupos de direitos humanos questionam a liga por permitir o negócio, apontando para o histórico ruim da Arábia Saudita no quesito direitos humanos.

"Para a Arábia Saudita, o acordo mostra o sucesso de sua estratégia de RP [relações públicas] de investir em empreendimentos esportivos na tentativa de limpar a imagem. Para a liga inglesa... eles estão efetivamente convidando outros líderes abusivos a seguirem o exemplo", disse Nabhan al-Hanashi, que ocupa a diretoria da ALQST em caráter interino, à Reuters. "O raciocínio [da liga inglesa] de que a PIF é uma entidade separada do Estado saudita é farsesco. Basta ver quem preside a PIF: o próprio príncipe herdeiro Bin Salman, cujo governo é marcado pelas formas de repressão mais brutais."

Próximas Transmissões

Sábado 11h00 | Campeonato Inglês | Arsenal x Leicester City
Sábado 16h00 | Campeonato Francês | PSG x Montpellier
Domingo 16h00 | Brasileirão Série A | Ceará x Fortaleza
Segunda 14h30 | Campeonato Espanhol | Getafe x Atlético de Madrid
Segunda 20h00 | Brasileirão Feminino | Flamengo x Internacional